Feeds:
Posts
Comentários
Obra do sanear II em Fortaleza

Obra do sanear II em Fortaleza

Pouco mais de 50% da população que vive na capital cearense têm acesso as redes de esgoto ou saneamento básico. Os dados são da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (CAGECE), que esse ano produziu diversas ações no sentido de alertar a população para a importância da correta manipulação dos resíduos sólidos.
Segundo o boletim informativo da CAGECE publicado em novembro de 2008, a CAGECE desenvolve ações educativas como visitas domiciliares, oficinas, seminários e reuniões para orientar os moradores sobre a forma correta de utilizar a rede de esgoto. De janeiro a setembro, somente em Fortaleza, as equipes sociais do Programa Sanear II e do Programa de Despoluição da Orla já realizaram 32.084 visitas domiciliares neste sentido. Em todo o Ceará, o Programa de Educação Sanitária sensibilizou 45.183 pessoas em 2008. A Superintendência do Meio Ambiente do Ceará (CEMACE) faz um constante monitoramento das praias da capital,  destacando as praias impróprias para banhos e indicando as que estão em condições adequadas para receber os banhistas. Na manhã desta quarta feira, dia 26/11, a CEMACE ministrou uma palestra sobre resíduos sólidos para alunos da Escola Estadual de Educação Profissional situada na região metropolitana de Fortaleza.
Embora grande parte dos fortalezenses não seja atendida por serviços de tratamento de esgoto, a CAGECE informa que são recolhidos por dia 800 toneladas de resíduos sólidos de suas estações de tratamento, e a maior parte desses resíduos é lixo domestico que de alguma forma acaba sendo jogado nas galerias de esgoto. “A população por desconhecimento colabora com esse número de
lixo na rede de esgoto, quando jogam fraldas, plásticos e outros tipos de
materiais sólidos na rede” declara Hildel Freire, gerente de esgoto.
A companhia informa ainda que, somente em Fortaleza, existem 40 estações elevatórias de esgoto e 45 estações de tratamento desse esgoto. Porém, a principal estação é de Pré-Condicionamento do Esgoto (EPC), situada na Avenida Leste Oeste, e que possui uma vazão de 2,5 m3 por segundo, chegando a tratar 216 mil m3 de esgoto por dia
Mesmo com o grande volume de esgoto tratado existe quase a metade da população como demanda para aumento da capacidade de atuação da CAGECE. Sobre isso a companhia declara: “Com os investimentos previstos para essa área, esperamos aumentar essa cobertura para 75% a 80% em Fortaleza até 2010. A CAGECE já conta com recursos da ordem de R$ 330 milhões para investimento em esgotamento sanitário na capital”.
Segundo informações publicadas no site www.infoescola.com, efluente ou águas servidas, são todos os resíduos líquidos provenientes de indústrias e domicílios e que necessitam de tratamento adequado para que sejam removidas as impurezas e assim possam ser devolvidos à natureza sem causar danos ambientais e à saúde humana.
Geralmente a própria natureza possui a capacidade de decompor a matéria orgânica presente nos rios, lagos e no mar. No entanto, no caso dos efluentes essa matéria é em grande quantidade exigido um tratamento mais eficaz em uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que, basicamente, reproduz a ação da natureza de maneira mais rápida.

De modo geral, o tratamento do esgoto é feito em quatro níveis básicos: nível preliminar, tratamento primário e tratamento secundário que tem quase a mesma função, e tratamento terciário ou pós-tratamento. Cada um deles têm, respectivamente, o objetivo de remover os resíduos sólidos suspensos (lixo, areia), remover os sólidos dissolvidos, a matéria orgânica, e os nutrientes e organismos causadores de doenças.
No nível preliminar são utilizadas grades, peneiras ou caixas de areia para reter os resíduos maiores e impedir que haja danos as próximas unidades de tratamento, ou até mesmo, para facilitar o transporte do efluente.

No tratamento primário são sedimentados os sólidos em suspensão que vão se acumulando no fundo do decantador, formando o lodo primário que depois é retirado para dar continuidade ao processo.

Em seguida, no tratamento secundário, os microorganismos irão se alimentar da matéria orgânica convertendo-a em gás carbônico e água. E no terceiro e último processo, também chamado de fase de pós-tratamento,que são removidos os poluentes específicos como nitrogênio e fósforo,bactéria e fungos. Isso quando se deseja que o afluente tenha qualidade superior, ou quando o tratamento não atingiu a qualidade desejada.

Quando se trata de efluentes industriais a própria empresa faz o tratamento de esgoto e exige que a indústria monitore a qualidade dos afluentes mandados para a estação. No caso de haver substâncias muito tóxicas ou que não possam ser removidas pelo tratamento oferecido pela ETE, a indústria é obrigada a construir a sua própria ETE para tratar seu próprio efluente.
Francisco José Ferreira, engenheiro civil da cagece, fala sobre o projeto piloto de transformar gás combustível a partir do esgoto: “O gás metano liberado pelo esgoto é altamente prejudicial ao meio ambiente.
É um gás 21 vezes mais forte do que o gás carbônico, portanto, colabora mais
rapidamente com o efeito estufa.A Cagece nesse projeto piloto está
transformando esse gás em combustível. Produzir essa energia não é o
objetivo principal da Companhia, mas se trata de um potencial energético que
pode ser aproveitado”, declara o engenheiro.
A organização das Nações Unidas (ONU) lançou oito metas de desenvolvimento para o milênio. Dentre as quais está o desenvolvimento de sistemas de saneamento favoráveis à melhoria das condições de vida no planeta.
Tendo em vista que 2008 foi escolhido pela ONU como ano do saneamento, a proximidade do final deste ano requer um balanço, acerca dos resultados alcançadas para atingir os objetivos pretendidos. Os dados fornecidos pela CAGECE podem ser úteis para esse balanço.

O Brasil está comemorando um alto índice de Cobertura no serviço de esgotamento sanitário, mas o Ceará apesar do relevante índice de crescimento com relação à rede coletora de esgoto ainda continua amargando 51,4% de residências ou domicílios sem fossa séptica. O percentual de casas com fossas septicas no Ceara cresceu cerca de 7,4 pontos percentuais atingindo 49,9%, de residencias com infra estrutura de esgoto, no ano passado. Em 2006, toda a cobertura não passava de 42,5% no estado.

 

 Nacionalmente as residências que possuem rede coletora de esgoto aumentaram 2,8 pontos percentuais. Pela primeira vez o Brasil passou a ter 51,3% dos lares brasileiros atendido com saneamento básico. Na região Norte os domicílios ligados a rede de coletora de esgoto mais que dobrou de 2006 para 2007.

 

O Nordeste mesmo apresentando a maior redução de domicilio sem acesso a rede coletora de esgoto foi a única região que ainda permaneceu com o maior número de casas sem saneamento básico.

  

 Em 2007, O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) constatou que 54 milhões de brasileiros moram em residencias sem infra-estrutura adequada, o que representa 34,5% da população urbana do nosso país. Apesar do considerado indice de crescimento de casas com redes coletoras de esgoto no Ceará, ainda é muito preocupante o número de residencias sem saneamento básico em todo estado. Mesmo com inumeras casas com fossas septicas, ainda é crescente o uso indevido da população que utiliza a rede coletora de esgoto, 2.800 obstruções são solucionadas pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (CAGECE) 35% dessas obstruções são ocasionadas por lixo domestico (roupas, papeis, fraldas, absorventes, etc) que a população joga na rede coletora de esgoto e acabam ocasionando obstruções e transbordamento pela cidade.

Estação de tratamento de água Gavião

Estação de tratamento de água Gavião

É indispensável que o homem disponha de água em quantidade suficiente aos diversos usos. A falta de água tem reflexos sanitários, pois influência na higiene pessoal, na dos alimentos e do ambiente, podendo trazer prejuízos à saúde humana.

O consumo de água depende de fatores, como hábito e nível de educação sanitária na comunidade; características climáticas; tipo de cidade; e características do sistema de abastecimento. (disponibilidade de água, existência de medidores de consumo e, etc)

O suprimento de água para a Região Metropolitana de Fortaleza é garantido através do conjunto de mananciais, composto pelos Açudes Pacajús, Pacoti / Riachão e Gavião. Segundo Manoel Sales, gerente de qualidade da água, todos esses mananciais são protegidos e o uso deles não é permitido. Em 1993, este sistema foi reforçado através da construção do “Canal do Trabalhador” que recebe água do Açude Orós, captada do Rio Jaguaribe, em Itaiçaba, interligando essa captação de Itaiçaba ao Açude Pacajús, através de estações elevatórias. Do Açude Pacajús, a água é recalcada para o Sistema Integrado Pacoti / Riachão / Gavião.

Junto ao Açude do Gavião está implantada uma Estação de Tratamento de água com capacidade nominal de 10 m3/s. A transferência de água tratada é feita pelas adutoras do Ancuri, que alimentam dois reservatórios apoiados com capacidade de armazenagem de 40.000 m3 cada, e uma terceira adutora que conduz água para Maracanaú, Caucaia e parte da zona oeste de Fortaleza.

Os açudes Pacoti / Riachão e Gavião são as principais fontes de suprimento de água da Região Metropolitana de Fortaleza, podendo disponibilizar uma vazão mínima regularizada de 4,42 m3/s. Com a utilização do açude Pacajús, Aracoiaba e do Canal do Trabalhador a capacidade total instalada do sistema passa a ser de 10,42 m3/s.

A estação de tratamento localizada à jusante do Açude Gavião foi projetada inicialmente para utilização de tecnologia de tratamento do tipo convencional, constituída de câmara de mistura rápida e floculadores mecanizados, decantadores de fluxo horizontal e filtros rápidos por gravidade. Com a modificação da tecnologia de tratamento de convencional para filtração direta descendente, realizada em 1995, e um aumento de 25% na área filtrante, a capacidade de tratamento foi elevada para 6,9 m3/s. Em 2007 a capacidade de tratamento foi elevada a 10,0 m3/s com a construção de seis novos filtros, atingindo a capacidade máxima do sistema.

Os reservatórios localizados no morro do Ancuri são os principais centros de reservação do sistema de abastecimento de água de Fortaleza, a partir do qual a água é aduzida por gravidade até os setores de distribuição. Suas principais características são apresentadas a seguir:

O abastecimento de água de Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Euzébio, parte de Itaitinga e parte de Pacatuba é complementado pela macro-distribuição, compreendendo adutoras Sub-adutoras, reservatórios setoriais, elevatórias setoriais, redes de distribuição e ligações prediais.

A água é um dos recursos naturais mais importantes do planeta, mas corre risco de ficar cada vez mais escasso. A população em geral precisa se conscientizar quanto ao uso responsável da mesma, para que possamos no futuro usufruir cada vez mais deste incrível recurso.

O Programa Caça-Vazamento Oculto da Cagece completa um ano em Fortaleza, e começa no interior até o final de agosto. Em um ano de trabalho na capital do Ceará foram sanados 931 vazamentos, sendo percorridos 350 km de rede. Com isso a redução de perdas foi de 64.759 m3 por mês. Diante dos resultados do Projeto Piloto em Fortaleza, que contou com uma equipe, a Companhia vai contratar mais uma equipe para a Capital e duas para o interior. Estas últimas terão atuação itinerante.

Os vazamentos ocultos só conseguem ser detectados através de equipamentos sofisticados. É necessário um kit composto de geofone, permalogs e soundsens.

Segundo Luís Celso Pinto, gerente de perdas da cagece, a empresa está comemorando o fato de perder apenas 25% de água, estando entre as 3 melhores do país em redução de perdas. Esse é um benefício para todo os estado.

PAUTA

2008 é o ano do Saneamento Básico, segundo os objetivos do desenvolvimento do milênio, projeto das Organizações das Nações Unidas ( ONU ). A pauta em questão é sobre as condições de água e esgoto na cidade de Fortaleza. Muitas pessoas não compreendem a importãncia da utilização correta da água e do uso sustentável dela. Esse é um dos recursos naturais mais importantes do planeta e corre riscos de ficar cada vez mais escasso. A matéria tem como objetivo abordar o uso responsável da água e os projetos sustentáveis

O Brasil é apontado em várias pesquisas como um país bem abaixo do sistema de esgoto ideal para se ter boas condições de moradia e uma vida mais saudável. Pesquisas recentes indicam que quando não há sistema de rede de esgotos adequado pessoas faltam mais aos empregos e diminui a assiduidade das crianças nas escolas, tudo isso atribuido a falta de rede de esgoto, que ocasiona doenças a população. O objetivo é chamar atenção para a importância desse quadro, principalmente na cidade de Fortaleza, assim como também uma conscientização  por parte da própria população. O Estado por sua vez precisa ampliar a rede coletora de esgoto.

Editor: Carlos Renato

Repórteres: Gabriela Fiuza, Ilo Santiago, Klebiana Kety, Rodrigo Castro.

Que o Second Life está com tudo ninguém dúvida. Nesse imenso mundo virtual de possibilidades cada vez mais e mais usuários encontram motivos para se conectar. No ambiente do jogo você pode conhecer lugares, fazer compras, paquerar, vestir a roupa que deseja, dentre outras possibilidades iguais as da vida real.
Embora o jogo esteja na moda, o SL, assim como qualquer sistema de relacionamentos da web, traz sempre muitos perigos e problemas aos usuários. Todo grande sistema ou programa que faz sucesso na internet é alvo de fraudadores e hackers. Vírus e roubos de senha já ocorreram no Second Life, impedindo os internautas de entrarem em suas próprias contas e expondo seus dados. Segundo matéria publicada na Folha online a Linden Lab já chegou até a fornecer um SAC por telefone para os usuários do jogo, embora não tenha alcançado resultados satisfatórios. Dados como nomes, endereços, senhas e até dados de cartões de créditos já foram expostos devido o ataque dos invasores.
Outro problema que podemos encontrar no ambiente é o comportamento de vários usuários. Valores como ética e dignidade parecem não ser o forte de muitos que se aventuram no jogo. O comportamento sexual de alguns avatars é questionável. Entrando em qualquer ambiente do jogo é fácil perceber isso. Estupros virtuais e pedofilia no SL já foram abordados por blogs e sites, e a pornografia parece estar em expansão no jogo. Não bastasse isso podemos encontrar também sinais de outros tipos de violência. Certa vez navegando pelo jogo tive oportunidade de ver um avatar morto por ferimento a bala, e fiquei bastante surpreso ao saber que até isso era possível.
O Second Life realmente é uma gama imensa de opções. Devemos apenas refletir se essas são as opções mais cabíveis a um ambiente de integração.

 

http://labcult.blogspot.com/2007/09/sexo-no-second-life.html

http://teleporte.blogspot.com/2007/02/sexo-virtual-atrai-multides-em-jogos.html

Avatar morto.

Avatar morto.

 

O ativismo na web também está presente quando o assunto é defesa e direitos dos animais. Atualmente existem vários sites especializados com grande material de divulgação, incentivo e utilidade pública. Neles as pessoas podem tirar dúvidas e conhecerem mais a real situação de grande parte de nossos bichos. Maiores informações no https://blogjorrenatobezerra.wordpress.com/.